Coisas (meio banais) que me deixam feliz...

fevereiro 03, 2017



1. Livros
Se você já leu alguma das coisas que escrevi aqui, deve ter notado que eu falo MUITO sobre livros. Eu realmente amo livros e tudo que esteja relacionado a esse universo, eles me acompanham desde a infância e foram, tipo, meus melhores amigos por um bom tempo (alerta clichezão). Eu adoro cheiro de livros, marcadores de páginas, capas com diferentes texturas, edições especiais, ler sobre livros, etc., etc., etc... E amo ler, é claro! É só entrar numa livraria (ou biblioteca, mas esse eu faço menos/não faço há algum tempo) que meus olhos começam a brilhar e eu pareço criança em loja de doces. Então, se quer me ver feliz, me dá um livro (ou um marcador, eu coleciono 😉).

2. Comida
Em grandes quantidades principalmente. Eu adoro comer. Tipo, de verdade. Se você me oferecer comida eu provavelmente vou aceitar. Vivo fazendo umas dietas meio malucas/tentando uma reeducação alimentar e tal, mas não fico passando vontade (não mais, já tive épocas de ficar sofrendo contando calorias, é uma morte horrível). Acho que consigo fazer um Top 5: Hambúrguer (artesanal, obviously, mas curto um BK que, olha, não tá escrito); comida japonesa (rodízios são uma espécie de paraíso pra mim); pizza; comida árabe e comida mexicana. Ok, eu dei uma trapaceada com os tipos, mas me deixa.

3. Seriados
E maratonas. Eu a-m-o pegar um dia pra assistir vários episódios (ou uma temporada inteira, não me julguem) de alguma série. É como um ritual: faço uma panelona de pipoca, brigadeiro (nos dias mais gordos) e faço um ninho de travesseiros na cama. É a melhor coisa da vida. Uma das. Mas vocês pegaram o espírito. Nas férias sou capaz de passar dias sem sair de casa, assistindo trocentos episódios sem parar. 

4. Música
Não sou daquelas pessoas que fica 24 horas de fone de ouvido, (1) porque me sinto meio surda quando faço isso e (2) porque dou uma enjoada de ficar escutando músicas o tempo todo. Mas o legal da música é que ela une as pessoas através de um interesse comum. Além disso, ela proporciona uma coisa chamada SHOWS (se você escuta bandas relativamente ativas e que costumam vir ao Brasil, o que é meu caso, mas não muito). Adoro ficar horas numa fila pra depois perder a voz gritando loucamente. É terapêutico. 

5. Fazer doces
Sou péssima cozinheira. Tipo, ruim mesmo. Qualquer tentativa de cozinhar o mais básico arroz resulta numa coisa sem sal (literalmente). Porém, nem tudo está perdido afinal fazer doces também se encaixa na categoria “cozinhar”. Tudo bem que eu não faço isso com muita frequência (por dois motivos básicos: preguiça e miga não dá pra fazer/comer um bolo por semana e achar que vai ficar tudo bem). Gosto de tentar receitas complicadas, mas também gosto de fazer o básico tipo bolos.  


Leia também

0 comentários

Obrigada!