Meus piores defeitos

abril 22, 2017



É bem difícil falar da gente mesmo, não é? Geralmente as pessoas veem a si próprias sob uma perspectiva meio ruim (algumas não, algumas pessoas tem uma auto-estima, que meu Deus, queria ter). Acho complicado falar sobre meus defeitos ou qualidades, é tudo muito subjetivo. Talvez só eu enxergue algumas dessas coisas como defeitos, né? Acho que é assim com a maioria dos humanos. Mas vamos lá:

1. Roer as unhas
Se minha mãe um dia chegar a ler este post ela vai, com toda certeza, falar "Tá vendo, Gabriela, eu sempre te falei que é feio...". Mano, as vezes eu ponho a mão na boca e nem percebo, mas quando tem gente por perto tem momentos que eu fico ~self aware~, fico muito consciente de que tá muito feio e desesperador eu mordendo aquele dedo, mas não consigo parar. Eu tô tentando, juro. 

2. Sou muito responsável
Eu sou tipo a mãe do rôle. E eu sei que eu sou chata as vezes falando tudo que pode dar errado se as pessoas não tomarem cuidado com isso ou aquilo. Eu sei muito bem que eu corto o barato da galera. Mas, assim, não é como se eu fosse ligar o foda-se de um dia para o outro, não é mesmo? Alguém tem que ser responsável afinal de contas. Né? Não? Well...

3. Perfeccionista com trabalhos em grupo
Genteeee, eu sou muito chata e controladora com trabalhos e projetos. Muito. Eu quero que tudo saia o melhor possível e exijo (sim, você leu bem, EXIJO) que as pessoas se esforcem pelo menos o minimo para fazer as coisas direito. Eu planejo, delego funções e dou prazos. E, honestamente, por mais chato que seja, não me arrependo. Amo ver meu esforço recompensado e quando isso depende de outros, eu com certeza vou fazer com que tudo de certo de um jeito ou de outro. (eu sou chata, já disse).

4. Falo muito alto 
Isso é um problema sério, porque é muito feio. São duas situações: 1) eu me empolgo e começo a falar alto e rápido e 2) eu tô muito nervosa/putassa com alguma coisa e começo a erguer a voz mesmo se só estiver relatando o que aconteceu. É complicado, mas a família toda é assim.

5. Penso demais
Em inglês a expressão é overthink. E eu faço isso o tempo todo. Eu tento prever todos os cenários possíveis - bons e ruins - antes de tomar uma decisão, seja ela sobre algo grande ou seja, tipo, comer uma bolacha. Não como bolacha, mas enfim, vocês pegaram a ideia. Eu viajo demais na minah cabeça de vez em quando. Tanto, que tem vez que fico emputecida com coisas que nem aconteceram ainda e que no fim das contas não saem do jeito que a minha mente pessimista pensou.

É isso. Um mix de mau-humor e chatisse num pacotinho fofo. Só que não. 

Foi mais difícil do que eu imaginei escrever sobre meus defeitos. Eu sei que tenho muitos e eu penso neles o tempo todo, mas escolher 5 e descrever o que acontece, Jesus amado. Sofri. Mas tô viva. Vamos continuando.






Leia também

0 comentários

Obrigada!